Câmara de Maceió debate suplementação orçamentária

O presidente da Câmara Municipal de Maceió, vereador Eduardo Holanda (PMN), voltou a explicar à imprensa, durante a sessão plenária dessa terça-feira (19), a situação orçamentária da Casa de Mário Guimarães. Aos jornalistas, o vereador reforçou haver a necessidade de a Prefeitura de Maceió autorizar uma suplementação orçamentária, a fim de que o Legislativo possa ‘fechar as contas’ do exercício financeiro de 2010.

“Vivenciamos a mesma situação do ano passado e que, na verdade, perdura já há três anos, período em que permanecemos com o duodécimo congelado em R$ 35,7 milhões. Assim como em 2009, precisaremos de um suplemento na ordem de R$ 4,5 milhões, com base no mesmo levantamento feito anteriormente. Este valor é o ideal para a normalidade da Casa”, explicou o presidente da Câmara, salientando que a Prefeitura ‘reconheceu a necessidade de tal suplementação ao concedê-la no ano passado’. “Todos os vereadores são sabedores desta situação”, emendou.

Ainda de acordo com o presidente Eduardo Holanda, a Câmara deverá acrescer ao Orçamento para 2011 o benefício representado pelo ticket alimentação ao servidor do Legislativo. “Também temos trabalhado no sentido de garantir a normalidade dos trabalhos por parte dos vereadores, já que, apesar da redução da verba indenizatória, de R$ 27 mil para R$ 9 mil, cumprindo assim o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) discutido com o Ministério Público Estadual, conseguimos dois carros locados para cada um dos 21 vereadores, 1,3 mil litros de combustível, além de R$ 1 mil em alimentação por mês”, complementou o vereador, ressaltando a importância de tais serviços.

“São gastos necessários à atividade legislativa. Eu falo por mim, pois, utilizo-os no meu dia a dia”, concluiu o presidente da Câmara, assegurando ainda que todos os colegas vereadores também fazem uso dos benefícios.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *