Deputado lamenta assassinato de empresário Guilherme Brandão

O deputado estadual Dudu Hollanda (PSD) lamentou, durante sessão plenária da Assembleia Legislativa de Alagoas nesta quarta-feira (26), a morte do empresário Guilherme Brandão, assassinado, pela manhã, dentro de escritório de conhecida casa de shows instalada no bairro de Jatiúca, área nobre da capital. Na oportunidade, Dudu aparteou discurso do colega deputado Ronaldo Medeiros (PT), externando sua preocupação para com a escalada da violência no estado.

“O Guilherme era meu amigo de infância. Estudamos juntos no Colégio Marista, aqui em Maceió. Sou amigo de toda a família. Ele era uma pessoa muito cativante e que não tinha desafetos. Eu frequentava a casa de shows Maikai, de sua propriedade, e lamento profundamente este episódio”, comentou o parlamentar.

Na oportunidade, Dudu disse ter mais uma vez se surpreendido com a ousadia dos criminosos. “Os bandidos invadiram seu escritório e ainda mataram o empresário depois de subtrair quantia e, dinheiro da vítima. Onde estamos seguros?”, indagou o líder do PSD na Assembleia, reportando-se a outros registros de violência no estado que deixaram perplexa a população alagoana.

“Invadir um Grupamento de Polícia Militar foi um absurdo”, recordou Dudu, sobre a morte do policial militar Ivaldo Oliveira, assassinado a tiros em dezembro, no município de Porto de Pedras. “Infelizmente, crimes dessa natureza se tornaram recorrentes. Agora, eles ocorrem em todos os lugares, sem horário distinto. Ano passado, a vítima foi o ex-presidente do CRB, Paulo Trindade, morto durante assalto na Jatiúca. Antes, foi o médico Alfredo Vasco quem pagou com a própria vida, após ter sido baleado, em outro assalto, no Corredor Vera Arruda, no Stella Maris. Agora, a vida ceifada foi a de Guilherme Brandão, que era um gerador de emprego e renda”, emendou.

“Fico sem palavras ao recordar tudo isso. O governador Teotonio Vilela Filho já solicitou empenho por parte da Secretaria de Defesa Social, no sentido de que os culpados pela morte do amigo Guilherme Brandão sejam presos. Mudou-se o secretário, mas, infelizmente, não mais estamos seguros em lugar algum. Espero, porém, que este crime seja esclarecido o quanto antes”, concluiu Dudu Hollanda.

Na mesma sessão, o deputado Jefferson Morais (DEM) também pediu a palavra para lembrar que amigos e parentes do empresário vaiaram, em forma de protesto, membros da cúpula de segurança, que estiveram no local do crime. “Isso ocorria somente na periferia, e de forma tímida. Este jovem empresário gerava cerca de cem empregos diretos. E pouco tempo depois, nesta manhã, uma senhora que efetuou saque em banco da Rua do Sol foi roubada e viu o acusado ser morto em seguida por um desconhecido”, recordou o parlamentar, criticando a execução do programa Brasil Mais Seguro em Alagoas.

E ainda nesta quarta, em virtude da morte de Guilherme Brandão, proprietários de bares e restaurantes da capital fecharam as portas, enquanto pessoas próximas ao empresário assassinado realizaram uma carreata até o local de sepultamento, o Campo Santo Parque das Flores.

“Gostaria de lembrar que outros crimes bárbaros também foram aqui registrados, com repercussão até maior. A revolta é constante. Guilherme era um homem discreto, um ótimo pai de família. Todos nós estamos indignados. Esta Casa precisa se posicionar contra estes crimes. Alagoas segue destaque nacional, com todos os índices sociais negativos. É preciso também que não consideremos apenas a propaganda institucional, os números oficiais sobre a violência no estado. Crimes que estariam relacionados com o tráfico de drogas, com a polícia diminuindo o valor de cada uma das vidas perdidas, também precisam ser esclarecidos”, complementou o também deputado João Henrique Caldas (Solidariedade).

Profissão regulamentada

E também nesta quarta, o deputado Dudu Hollanda declarou seu apoio à iniciativa do colega Joãozinho Pereira (PSDB), que teve projeto de lei aprovado durante a sessão. Com isso, o deputado estadual contribuiu à regulamentação da profissão de despachante documentarista.

“Os despachantes nos ajudam no sentido de se evitar a burocracia existente em alguns órgãos, a exemplo do Departamento Estadual de Trânsito, mesmo com o advento da tecnologia. Eles nos ajudam com informações, facilitando-nos o acesso. Portanto, também parabenizo estes trabalhadores pelo reconhecimento da profissão”, afirmou Dudu.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *