Dudu Hollanda cobra a conclusão de obras da rodovia 430

O deputado estadual Dudu Hollanda (PSD) utilizou a tribuna durante sessão ordinária da Assembleia Legislativa de Alagoas para cobrar, do governo estadual, a conclusão das obras da rodovia 430, que vai ligar os municípios de Flexeiras e São Luís do Quitunde, na região Norte de Alagoas. Na oportunidade, o parlamentar lembrou que restam apenas dois quilômetros de pavimentação para que a estrada seja concluída, levando desenvolvimento às comunidades locais.

“Já fiz um requerimento junto ao diretor presidente do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem, Helder Gazzaneo, e à secretária de Estado da Infraestrutura, Aparecida Machado, para que se dê celeridade à obra. Afinal, trata-se de uma rodovia muito importante para facilitar o deslocamento na região Norte do nosso estado”, afirmou Dudu Hollanda, destacando também que a obra se arrasta desde o ano 2010.

“Lembro-me que, ainda quando vereador e presidente da Câmara de Maceió, solicitei ao então governador Teotonio Vilela Filho que autorizasse o recapeamento da rodovia. Portanto, faço este apelo, em nome de lideranças políticas de Flexeras, encabeçadas pelo vereador Ronaldo Brandão”, emendou o deputado.

Falta d’água

Na mesma sessão plenária, Dudu ainda falou sobre o problema da falta d’água que afeta muitos municípios alagoanos, a exemplo de Flexeiras. “Ainda sobre Flexeiras, faço um apelo ao presidente da Companhia de Saneamento de Alagoas, Clécio Falcão, para que dê uma atenção especial àquele município, cujos moradores enfrentam dificuldades quanto ao abastecimento d’água. Afinal, ninguém sobrevive sem água, e a Casal precisa resolver o problema”, afirmou o parlamentar.

Na oportunidade, Dudu também lembrou que a falta do precioso líquido também já é uma realidade na capital alagoana. “Em Maceió também não é diferente. O complexo Benedito Bentes, por exemplo, é uma cidade dentro de outra cidade. Em número de unidades habitacionais, é maior, inclusive, do que Arapiraca, razão pela está a sofrer com a falta de água”, denunciou Dudu, destacando suas ações em prol daquela comunidade.

“Quando vereador, ainda no meu primeiro mandato, no ano de 1997, consegui a perfuração de um poço artesiano de grande vazão, ainda na gestão do saudoso ex-governador Divaldo Suruagy. O poço foi perfurado na escola Rubens Canuto, no Benedito Bentes 2. À época, solucionamos o problema verificado naquela região, mas a água já acabou, pois, a população aumentou, dada a criação de inúmeros conjuntos habitacionais na parte alta da capital”, analisou Dudu, sobre a crescente demanda por água na região.

Ainda com a palavra, o deputado estadual comentou também o rodízio de água pelo qual Maceió voltou a passar, devido a serviço de manutenção no Sistema Pratagy, que abastece boa parte da cidade. “No Benedito Bentes, são mais de 13 conjuntos habitacionais e mais de 250 mil pessoas. É um Jaboatão dos Guararapes junto ao Recife, por exemplo. A cada dia, o Sistema Pratagy está com menos água para apesar de abastecer toda a capital. A população alagoana está prejudicada, com vários condomínios da parte baixa tendo de recorrer aos carros pipas, sendo que, neste caso, o cidadão mais humilde acaba não conseguindo acesso”, avaliou.

Aos colegas deputados presentes, Dudu descreveu, ainda, trabalho assistencial realizado junto à comunidade do Trapiche. “Fiz um trabalho na região da Praça Pingo d’Água, onde instalei uma máquina, nos limites do terreno de um amigo, para socorrer a comunidade. Porém, sei que uma ação pontual como esta não vai resolver o problema em definitivo. Reconhecemos o esforço do governador Renan Filho, mas a Casal precisa realizar investimentos”, complementou Dudu, tendo sido aparteado pelo colega deputado Pastor João Luiz, que o parabenizou pela iniciativa.

“Já travamos grandes debates sobre a água em Maceió. Chegamos a questionar, inclusive, a renovação do contrato da Casal com o município. Quem consome a água da Casal sofre de ferrentina, principalmente quando consumida no início da manhã, já que a tubulação é antiga. Muitos só têm água porque alguns políticos de boa vontade, como vossa excelência, dispõem-se a ajudar. E a situação só piora”, afirmou João Luiz.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *