Dudu prestigia posse e parabeniza mais nova deputada estadual

O deputado estadual Dudu Hollanda (PSD), durante a sessão ordinária dessa terça-feira (15) da Assembleia Legislativa de Alagoas, parabenizou a empresária Patrícia Sampaio (PT), que tomou posse como deputada, em virtude da licença de Marquinhos Madeira, seu correligionário. Na oportunidade, Dudu destacou a tradição política da família Sampaio, reportando-se à experiência da nova parlamentar à frente das empresas de comunicação fundadas por seu pai, o ex-deputado e vice-governador de Alagoas, Geraldo Costa Sampaio, que faleceu em abril de 2010.

“Desejo-lhe boas vindas, na certeza de que vossa excelência vai honrar a memória do saudoso Geraldo Sampaio”, afirmou Dudu Hollanda, destacando que Patrícia já integra a terceira geração da família ‘que muito fez pela região Agreste, mais precisamente, pela cidade de Palmeira dos Índios’.

“Foram muitos os benefícios proporcionados à população de Palmeira, ainda quando Juca Sampaio, avô de vossa excelência, foi prefeito daquela cidade, vindo a presidir esta Casa Legislativa, tempos depois”, afirmou o deputado, em aparte ao pronunciamento de Patrícia Sampaio.

Mais segurança

Ainda na sessão dessa terça, o líder do PSD na Assembleia também cobrou, em aparte ao pronunciamento do deputado Jeferson Moraes (DEM), mais policiamento nas divisas de Alagoas com outros estados. A lembrança foi por ocasião da votação de veto governamental a projeto de lei que tem como objetivo disciplinar a realização de blitze em rodovias estaduais.

“Lembro-me que, ano passado, o secretário de Estado da Defesa Social, Dário César, recebeu secretários de toda a região Nordeste, com a exceção do estado do Maranhão, para a execução da chamada Operação Divisa. Por isso, manter o veto do governo estadual seria um grande retrocesso no combate à criminalidade”, explicou o deputado.

O posicionamento do também 4º secretário da Mesa Diretora foi compartilhado por vários colegas de parlamento, como Jota Cavalcante (PDT), que lembrou a importância de as citadas blitze serem realizadas por militares caracterizados.

“Recentemente, fui parado numa barreira policial com um tiro de espingarda, que atingiu a traseira do meu veículo. Tudo porque furei a blitz formada por um grupo à paisana. Porém, na ocasião, expliquei aos militares que eu não poderia confiar em homens descaracterizados”, comentou.

Em novo aparte, foi a vez de João Beltrão (PRTB) aproveitar o ensejo para criticar o aparato da segurança pública. “O grande problema é que a polícia não tem condições de trabalho. Sou a favor das barreiras, mas muitos municípios dispõem de apenas um carro. E as que circulam acabam afastando os criminosos porque os militares são obrigados a acender as luzes da viatura”, afirmou o deputado, tendo sido complementado por Ronaldo Medeiros (PT).

“Circular no interior do estado é um perigo. Em alguns casos, até a guarnição da Polícia Militar corre riscos”.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *