Holanda defende via para ligar o Tabuleiro à orla lagunar

O presidente da Câmara de Vereadores de Maceió, vereador Eduardo Holanda (PMN), utilizou a tribuna da Casa Mário Guimarães para, aos nove vereadores presentes à sessão plenária desta quarta-feira, 24, discursar sobre uma problemática que aflige o cotidiano de milhares de maceioenses: o crescimento do fluxo de veículos e os constantes engarrafamentos nas principais vias de acesso ao Centro da cidade.

Na ocasião, Holanda afirmou há muito defender o projeto de construção de uma grande via ligando o bairro Santa Amélia, na parte alta da cidade, ao bairro Vergel do Lago, na orla lagunar da capital. Para o vereador, a pista seria uma excelente alternativa ao congestionamento observado, nos horários de pico, em trechos das avenidas Fernandes Lima e Durval de Góes Monteiro, sobretudo no sentido Tabuleiro do Martins/Centro. “É um projeto grandioso, que requer muitos recursos. Mas temos de começar a sensibilizar a bancada federal, pois, a proposta é viável”, salientou o vereador, destacando iniciativas do Executivo.

“A cidade ainda precisa de vias alternativas e o Executivo tem consciência disto. Nessa terça-feira, quando o prefeito Cícero Almeida (PP) aqui esteve para abrir os trabalhos do Legislativo, ele nos informou que a Avenida Fernandes Lima será recapeada, enquanto que o asfaltamento desgastado será reaproveitado para a pavimentação de 20 quilômetros de várias ruas na parte alta da cidade”, comentou o vereador, permitindo assim o escoamento por vias que hoje não possibilitam um tráfego mais intenso.

“Projetos como o da Via Norte, que vai ligar o Benedito Bentes à Guaxuma, na parte baixa, e da Avenida Márcio Canuto, da Rotary ao Barro Duro, são algumas das opções anunciadas. Mas também já defendi, em recente conversa com o secretário municipal de Infra-estrutura, Mozart Amaral, a construção de uma outra via ligando o Sítio São Jorge ao bairro Cruz das Almas, cortando trecho que compreende os fundos da Fits [Faculdade Integrada Tiradentes]”, complementou o presidente do Legislativo, também considerando benéfica a pavimentação de trecho que liga o Conjunto Teotônio Vilela, no bairro Serraria, ao Sítio São Jorge, ‘haja vista que o calçamento contempla apenas o Conjunto José Tenório, no mesmo bairro da Serraria’.

Na tribuna, Eduardo Holanda afirmou à imprensa ainda defender um novo planejamento do Centro da cidade, assim como fora feito em bairros como Ponta Verde e Jatiúca, em virtude do grande fluxo de veículos. “Seria importantíssimo que alguns trechos passassem a ser mão única. Por vezes convido o secretário Mozart a passear pela cidade, propondo-lhe alternativas.

Na mesma sessão, aparteando o presidente da Câmara, o vereador Oscar de Melo (PP) destacou a importância do pronunciamento do colega parlamentar. “Particularmente, também defendo a relevância de medidas simples, como as já adotadas pela SMTT [Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito], capazes de contribuir à fluidez do tráfego. Muito mais do que as obras físicas, necessitamos de um grande estudo técnico, como ressaltado pelo presidente Eduardo Holanda”, avaliou.

Também aparteando Holanda, o vereador Dino Júnior (PCdoB) destacou o fato de a própria população não se conscientizar acerca da necessidade de se respeitar as leis do trânsito.

‘Mão única’

Na mesma sessão, o presidente do Legislativo Municipal afirmou também propor aos órgãos competentes a melhoria do tráfego no trecho entre a Ladeira Geraldo Melo e a Avenida Duque de Caxias, no trecho compreendido entre o Riacho do Sapo e a sede do Ministério Público Estadual. “Quando descemos a ladeira da rodoviária, chegando ao Riacho Salgadinho, o trânsito diminui consideravelmente. Defendo que as duas vias, no sentido Centro/Praia da Avenida, passem a ser mão única, mesmo que em fase experimental, desafogando assim o trânsito oriundo da Fernandes Lima, no bairro Farol”, explicou Holanda, concordando com sugestão do vereador Oscar de Melo, que também sugere mão única na Avenida Júlio Marques Luz, antiga Avenida Jatiúca.

Reforma

À imprensa, o presidente da Câmara voltou a discorrer sobre a reforma da sede do Legislativo Municipal, reinaugurado na última segunda-feira. Nessa terça, o prefeito Cícero Almeida anunciou que o Executivo procederá a compra de imóvel vizinho à Casa Mário Guimarães, a fim de que nele possam funcionar, por exemplo, os gabinetes dos vereadores, hoje instalados em salas alugadas pelo Legislativo.

“Nossa sede está moderna, mas continua pequena. Pedimos ao superintendente Jorge Coutinho para que autorizasse o estacionamento nos dois lados da Rua Senador Mendonça. Contudo, ainda assim, o problema continua grande em toda esta região central da cidade. Estamos há três anos com o mesmo duodécimo e não teríamos como, sozinhos, comprar ou construir uma nova sede. Particularmente, não gostaria que permanecêssemos aqui, mas todo presente é bem vindo”, analisou Holanda, agradecendo a iniciativa da Prefeitura.

Ainda na sessão desta quarta-feira, Eduardo Holanda elogiou as discussões em plenário, a exemplo da levantada pela vereadora Heloísa Helena (Psol) acerca da omissão do poder público quanto à política de atenção aos dependentes químicos. Na ocasião, Holanda recordou, com pesar, o fato de o atual prédio-sede da Justiça Federal, na Serraria, não ter sido concluído como sede do Hospital Geral do Estado – hoje instalado em prédio anexo à antiga Unidade de Emergência, no bairro Trapiche. “À época, Alagoas foi muito prejudicado com o desvio de recursos que deveriam ter sido destinados ao que seria a unidade de saúde”, comentou.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *