Jornais de Alagoas destacam candidatura de Dudu Hollanda

O presidente da Câmara Municipal de Maceió e candidato a deputado estadual nas eleições de outubro, vereador Eduardo Holanda (PMN), concedeu entrevista, na manhã desta quarta-feira (11), à Rádio Jornal, dentro do programa ‘Cidadania’, apresentado pelo jornalista Marcos Rodrigues (foto abaixo), a quem falou sobre a confirmação de sua candidatura a um assento na Assembleia Legislativa de Alagoas. Holanda lembrou que a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), vem a referendar a lisura com que tem buscado mais uma vitória nas urnas.

– Ouça, abaixo, a entrevista do futuro deputado estadual:

[audio: dudu_candidato_sim.mp3]

“Foi complicada a repercussão negativa que se deu à impugnação pelo Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas [decisão esta já reformada], de modo que precisei dar satisfações a muita gente que confia em meu trabalho. Mas graças a Deus a notícia positiva, da confirmação de minha candidatura, já repercutiu bastante em todos os sites, emissoras de TV e jornais”, comentou Eduardo Holanda, ressaltando que ‘cada caso é um caso’, quando perguntado sobre o alcance da Lei Ficha Limpa – fruto de projeto de iniciativa popular aprovado no Congresso Nacional e que tem punido políticos com condenação por órgão colegiado.

“O meu caso é totalmente diferente dos demais porque a denúncia que me foi feita ocorreu fora do prazo permitido por lei, dando conta de que eu teria extrapolado limite de doação de campanha, acima do permitido conforme o declarado no Imposto de Renda, quando meu irmão Antônio Holanda Júnior foi candidato a deputado estadual [em 2006]”, emendou o vereador, acrescentando que, além de ter doado uma quantia em espécie, cedeu sua estrutura de som ao ex-deputado estadual.

“O fato é que os bens móveis são convertidos em moeda, no caso o real, sendo a quantia estipulada conforme o valor de comércio. Portanto, acredito que, naquele momento, a nossa contadora não atentou para esta questão, considerando apenas a doação em espécie. Isso não foi reparado à época, tanto que as contas de meu irmão foram aprovadas, além do que também não fui notificado, participando normalmente de minha quarta eleição, no ano dois mil e oito, quando fui mais uma vez reeleito vereador”, complementou o presidente da Câmara de Maceió, reforçando que o processo que acabou por resultar na impugnação de sua candidatura ‘correu à revelia’.

“Fui informado pelo meu advogado, Daniel Brabo, acerca deste problema. Foi quando partimos para investigar o que havia ocorrido. Mas graças a Deus tudo está resolvido. Agradeço a todos da imprensa pelo espaço. Reforço a todos os alagoanos, amigos e correligionários que estamos firmes, mais motivados que nunca, porque esta foi, se Deus quiser, a primeira vitória que obtivemos rumo à Assembleia, onde trabalharemos pelo desenvolvimento econômico e social deste Estado”, concluiu Holanda.

Relembrando o caso

O ministro Marco Aurélio Mello concedeu liminar, na última terça-feira (10), favorável à candidatura de Eduardo Holanda, que teve o registro impugnado por decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL). A liminar reforma a decisão da Justiça Eleitoral em Alagoas até apreciação do mérito.

Contra o vereador e candidato a deputado estadual em 3 de outubro, pesava uma condenação por doação durante campanha eleitoral e que teria extrapolado o limite estabelecido pela legislação.

Porém, como a decisão cabia recurso junto ao Tribunal Superior Eleitoral, a defesa do candidato assim procedeu, de modo a convencer a corte superior no sentido de que Holanda tem condição de elegibilidade para concorrer a uma das 27 vagas na Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *