‘Não existe bico legal. Linguajar de Projeto de Lei é muito pejorativo’

O deputado estadual Dudu Hollanda (PMN), durante sessão plenária realizada na tarde desta terça-feira (09), utilizou a tribuna da Casa de Tavares Bastos para criticar o projeto de lei denominado ‘Bico Legal’ e que busca regulamentar o trabalho extra-oficial de policiais militares e civis de Alagoas, a fim de que os mesmos não continuem a agir na ‘clandestinidade’, buscando outras ocupações, paralelamente ao cargo público que exercem, como forma de complemento da própria renda mensal.

O projeto é uma iniciativa do presidente da Câmara Municipal de Maceió, vereador Galba Novaes (PRB). “Acho este termo muito pejorativo porque não há bico legal. O bico é ilegal e imoral. Legal é remunerar os policiais de forma justa, de forma que todos se sintam motivados para desempenhar suas obrigações, zelando permanentemente pela segurança de todos os alagoanos”, comentou o deputado, tendo sido aparteado pelo colega de parlamento, Ronaldo Medeiros (PT).

Com a palavra, o petista destacou que o tema ‘é interessantíssimo e requer a atenção de todos’. “A carga horária dos policiais é excessiva. Muitos não têm tempo livre sequer para a família. Muitos policiais escondem a própria farda, com medo de serem reconhecidos por algum bandido”, salientou o deputado.

Novamente com a palavra, Dudu Hollanda ressaltou, no entanto, colocar-se à disposição do Legislativo Municipal para uma ampla discussão a respeito da matéria. “Estou à disposição das polícias. Mas também precisamos debater uma melhor remuneração não apenas para os policiais, mas para todas as categorias. Tenho certeza de que o governador Teotonio Vilela Filho está atento à necessidade de buscarmos avanços nesse sentido antes da apreciação do Orçamento”, reforçou o deputado, destacando ainda a importância de se valorizar o trabalho ‘de todo e qualquer policial, do soldado ao coronel’.

Na oportunidade, o deputado estadual recordou o período no qual presidiu a Câmara de Vereadores de Maceió, destacando ter devolvido recursos nos dois anos de gestão [totalizando mais de um R$ 1,7 milhão], ‘apesar do apertado duodécimo’.

“Conheço a Câmara como a palma da minha mão e desejo tudo de bom ao presidente Galba Novaes, desejando-lhe sucesso, agora com o prefeito Cícero Almeida já tendo disponibilizado o terreno para a construção de uma nova sede para o Legislativo Municipal. Mas o projeto tem de ser revisto”, reforçou Dudu, que também é veementemente contra à possibilidade de aumento no número de vereadores.

“Trata-se de uma eleição dificílima, mas os vinte e um vereadores bastam. Porém, este número é suficiente desde que os vinte e um estejam de fato engajados, comprometidos para com os anseios da sociedade maceioense, pela qual lutei por quatorze anos como vereador, ajudando a Prefeitura a realizar as mais diversas ações em toda a cidade”.

O governador Teotonio Vilela (PSDB) e o secretário de Estado da Defesa Social, coronel Dário César, também já se posicionaram contrariamente ao projeto Bico Legal. Para o chefe do Executivo, outros Estados já teriam adotado o modelo, sem sucesso.  Em entrevista à imprensa, o governador reforçou que realizará concurso público para a contratação de mais policiais, além do retorno de militares à ativa.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *