Vereadores recebem servidores grevistas da Prefeitura

As vereadores Silvânia Barbosa (PTdoB), Tereza Nelma (PSB), Rosinha da Adefal (PTdoB) e Heloísa Helena (Psol) receberam, na manhã dessa terça-feira (14), uma comissão de servidores da Prefeitura de Maceió que estão em campanha salarial e que se dirigiram à sede da Câmara Municipal para buscar o apoio do Legislativo, a fim de que este possa intermediar o processo de negociação junto ao Executivo, sensibilizando-o quanto às reivindicações da categoria. Na ocasião, o presidente da Câmara, vereador Eduardo Holanda (PMN), prometeu agendar um encontro com a secretária municipal de Finanças, Marcilene Costa, e de Administração, Recursos Humanos e Patrimônio, Sérvio Vilela, repassando-lhes a pauta dos servidores grevistas.

Na reunião com os vereadores, os servidores expuseram sua insatisfação para com o reajuste inicialmente proposto pela Prefeitura, de 3%. “Reconhecemos que a administração do prefeito Cícero Almeida (PP) avançou muito, mas cobramos o reajuste, sem abdicar da necessidade de realização de concurso público”, comentou Lenilda Lima, da Central Única dos Trabalhadores – que também apoio o movimento grevista.

Na oportunidade, a comissão de servidores apresentou números que comprovariam que a previsão de crescimento econômico do município de Maceió, segundo dados da própria Prefeitura, estaria aquém da real expectativa. “Por meio de um novo estudo, apresentaram-nos um reajuste de cinco por cento, o que foi rejeitado por unanimidade em assembleia”, salientou Lenilda, lembrando que, na próxima segunda-feira (19), os servidores deverão voltar a ser reunir, desta vez no Clube Fênix, no bairro de Jaraguá, a partir das 8 horas, para decidirem os rumos do movimento.

A proposta teria efeito retroativo ao mês de janeiro, e com pagamento já a partir deste mês, em folha suplementar, com base em projeção de aumento de receita para 5,58%. Contudo, os servidores continuam a reivindicar 15% de aumento, sob o argumento de que tal reajuste não infringiria a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O Executivo, por sua vez, já cogita recorrer à Justiça se a comissão de servidores permanecer irredutível.

Aos servidores, a vereadora Heloísa Helena sugeriu que, caso não haja avanço até a próxima semana, a Câmara possa realizar uma audiência pública, com a participação de representantes da Prefeitura, a fim de que se possa chegar a um acordo entre as partes. Em respostas, os servidores voltaram a assegurar estarem abertos ao diálogo, na esperança de que o impasse seja sanado nos próximos dias.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *